Visão.Arte

sua arte em foto, por Lathife Cordeiro

    Moda e Beleza Entretenimento Arte e Cultura Entrevistas Passeios Fotos

Globo de Ouro 2013: os vencedores

31.
Janeiro.
2013.

Aconteceu ontem, em Los Angeles, a o 70ª edição do Globo de Ouro.

Confira a lista dos indicados ao 70º Globo de Ouro:

PRÊMIOS PARA O CINEMA

Melhor filme - Drama
"Argo" (2012)
"Django Livre" (2012)
"As Aventuras de Pi" (2012)
"Lincoln" (2012)
"A Hora Mais Escura" (2012)

Melhor filme - Musical
"O Exótico Hotel Marigold" (2011)
"Les Misérables" (2012)
"Moonrise Kingdom" (2012)
"Amor Impossível" (2011)
"Seven Psychopaths" (2012)

Melhor ator - Drama
Daniel Day-Lewis, "Lincoln" (2012)
Richard Gere, "A Negociação" (2012)
John Hawkes, "The Sessions" (2012)
Joaquin Phoenix, "The Master" (2012)
Denzel Washington, "Flight" (2012)

Melhor atriz - Drama
Jessica Chastain, "A Hora Mais Escura" (2012)
Marion Cotillard, "Ferrugem e Osso" (2012)
Helen Mirren, "Hitchcock" (2012)
Naomi Watts, "O Impossível" (2012)
Rachel Weisz, "The Deep Blue Sea" (2011)

Melhor ator - Musical ou comédia
Jack Black, "Bernie" (2011)
Bradley Cooper, "O Lado Bom da Vida" (2012)
Hugh Jackman, "Les Misérables" (2012)
Ewan McGregor, "Amor Impossível" (2011)
Bill Murray, "Hyde Park on Hudson" (2012)

Melhor atriz - Musical ou comédia
Emily Blunt, "Amor Impossível" (2011)
Judi Dench, "O Exótico Hotel Marigold" (2011)
Jennifer Lawrence, "O Lado Bom da Vida" (2012)
Maggie Smith, "Quartet" (2012)
Meryl Streep, "Um Divã para Dois" (2012)

Melhor ator coadjuvante
Alan Arkin, "Argo" (2012)
Leonardo DiCaprio, "Django Livre" (2012)
Philip Seymour Hoffman, "The Master" (2012)
Tommy Lee Jones, "Lincoln" (2012)
Christoph Waltz, "Django Livre" (2012)

Melhor atriz coadjuvante
Amy Adams, "The Master" (2012)
Sally Field, "Lincoln (2012)
Anne Hathaway, "Les Misérables" (2012)
Helen Hunt, "The Sessions" (2012)
Nicole Kidman, "The Paperboy" (2012)

Melhor diretor
Ben Affleck, "Argo" (2012)
Kathryn Bigelow, "A Hora Mais Escura" (2012)
Ang Lee, "As Aventuras de Pi" (2012)
Steven Spielberg, "Lincoln" (2012)
Quentin Tarantino, "Django Livre" (2012)

Melhor roteiro
"Amour" (2012): Michael Haneke
"Django Livre" (2012): Quentin Tarantino
"Lincoln" (2012): Tony Kushner
"O Lado Bom da Vida" (2012): David O. Russell
"A Hora Mais Escura" (2012): Mark Boal

Melhor trilha sonora
"Anna Karenina" (2012): Dario Marianelli
"Argo" (2012): Alexandre Desplat
"A Viagem" (2012): Reinhold Heil, Johnny Klimek
"As Aventuras de Pi" (2012): Mychael Danna
"Lincoln" (2012): John Williams

Melhor canção original
"For You" - Ato de Coragem
"Not Running Anymore" - Stand Up Guys
"Safe & Sound" - Jogos Vorazes
"Skyfall" - 007 - Operação Skyfall
"Suddenly" - Os Miseráveis

Melhor animação
"Valente" (2012)
"Frankenweenie" (2012)
"Hotel Transilvânia" (2012)
"A Origem dos Guardiões" (2012)
"Detona Ralph" (2012)

Melhor filme em língua estrangeira
Amour (Áustria)
A Royal Affair (Dinamarca)
Intocáveis (França)
Kon-Tiki (Noruega, Reino Unido, Dinamarca)
Ferrugem e Osso (França)



PRÊMIOS PARA A TV

Melhor série de TV - Musical ou comédia
"The Big Bang Theory" (2007)
"Episodes" (2011)
"Girls" (2012)
"Modern Family" (2009)
"Smash" (2012)

Melhor série de TV - Drama
"Boardwalk Empire" (2010)
"Breaking Bad" (2008)
"Downton Abbey" (2010)
"Homeland" (2011)
"The Newsroom" (2012)

Melhor filme feito ou minissérie para a TV
"Virada no Jogo" (2012)
"The Girl" (2012)
"Hatfields & McCoys" (2012)
"The Hour" (2011)
"Political Animals" (2012)

Melhor ator em série de TV - Drama
Steve Buscemi, "Boardwalk Empire" (2010)
Bryan Cranston, "Breaking Bad" (2008)
Jeff Daniels, "The Newsroom" (2012)
Jon Hamm, "Mad Men - Inventando Verdades" (2007)
Damian Lewis, "Homeland" (2011)

Melhor atriz em série de TV - Drama
Connie Britton, "Nashville" (2012)
Glenn Close, "Damages" (2007)
Claire Danes, "Homeland" (2011)
Michelle Dockery, "Downton Abbey" (2010)
Julianna Margulies, "The Good Wife" (2009)

Melhor ator em série de TV - Comédia ou musical
Alec Baldwin, "30 Rock" (2006)
Don Cheadle, "House of Lies" (2012)
Louis C.K., "Louie" (2010)
Matt LeBlanc, "Episodes" (2011)
Jim Parsons, "The Big Bang Theory" (2007)

Melhor atriz em série de TV - Comédia ou musical
Zooey Deschanel, "New Girl" (2011)
Lena Dunham, "Girls" (2012)
Tina Fey, "30 Rock" (2006)
Julia Louis-Dreyfus, "Veep" (2012)
Amy Poehler, "Parks and Recreation" (2009)

Melhor ator coadjuvante de série de TV
Max Greenfield, "New Girl" (2011)
Ed Harris, Virada no Jogo (2012) (TV)
Danny Huston, "Magic City" (2012)
Mandy Patinkin, "Homeland" (2011)
Eric Stonestreet, "Modern Family" (2009)


Melhor atriz coadjuvante em série, minissérie ou telefilme
Hayden Panettiere - Nashville
Archie Panjabi - The Good Wife
Sarah Paulson - Game Change
Maggie Smith - Downton Abbey
Sofia Vergara - Modern Family

Melhor ator coadjuvante em série, minissérie ou telefilme
Max Greenfield - New Girl
Ed Harris - Game Change
Danny Huston - Magic City
Mandy Patinkin - Homeland
Eric Stonestreet - Modern Family


Melhor atriz em uma minissérie ou telefilme
Nicole Kidman - Hemingway & Gellhorn
Jessica Lange - American Horror Story: Asylum
Sienna Miller - The Girl
Julianne Moore - Game Change
Sigourney Weaver - Political Animals

Melhor ator em uma minissérie ou telefilme
Kevin Costner - Hatfields & McCoys
Benedict Cumberbatch - Sherlock
Woody Harrelson - Game Change
Toby Jones - The Girl
Clive Owen - Hemingway & Gellhorn


A entrega do Globo de Ouro 2013 acontece no dia 13 de janeiro, em Los Angeles.
E fique ligado porque nós, da VISÃO.ARTE, estaremos ligados em tudo!


Até a próxima,

No Cinema: O Lado Bom da Vida

31.
Janeiro.
2013.

Pat Solatano (Bradley Cooper) perdeu tudo: sua casa, seu trabalho e sua esposa. Ele agora vive com sua mãe (Jacki Weaver) e o pai (Robert DeNiro), depois de passar oito meses preso. O homem está determinado a reconstruir sua vida e voltar com sua esposa, apesar das circunstâncias difíceis de sua separação. Porém, quando Pat conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma misteriosa e problemática garota, as coisas se complicam. Tiffany se oferece para ajudar Pat a reconquistar sua esposa, mas somente, se ele fizer algo muito importante para ela em troca. Essa é a história de O Lado Bom da Vida {Silver Linings Playbook}.



A primeira boa notícia é: o filme é uma delícia, você vai sair do cinema feliz, achando que a vida pode, sim, valer à pena. A segunda boa notícia: um filme com essa boa vibração conseguiu ser indicado a oito Oscars {o que prova que a Academia não está interessada apenas em dramas e sagas históricas}. As indicações são: Melhor Filme, Melhor Direção {David O. Russell}, Melhor Ator {Bradley Cooper}, Melhor Atriz {Jennifer Lawrence}, Melhor Ator Coadjuvante {Robert De Niro}, Melhor Atriz Coadjuvante {Jacki Weaver} (ambos na foto abaixo), Melhor Roteiro Adaptado {David O. Russell}, e Melhor Edição.



Diretor do aclamado O Vencedor {que em 2011 levou os Oscars de Melhor Ator Coadjuvante: Christian Bale; e Melhor Atriz Coadjuvante: Melissa Leo; mas merecia mais}, David O. Russell volta às telonas e à corrida do Oscar com mais um filme de superação, no qual os personagens - por mais ferrados que estejam - conseguem dar a volta por cima. E, assim como em O Vencedor, em O Lado Bom da Vida o diretor consegue atingir seu objetivo.



Elogiar a participação de Robert De Niro é chover no molhado {OK, ele está fan-tás-ti-co!!}, mas vamos aos protagonistas. Em 2011 Jennifer Lawrence surgiu roubando os holofotes com diversas indicações por sua performance em O Inverno da Alma. Depois dessa atuação forte, ela enveredou por blockbusters {fez X-Men e protagonizou Jogos Vorazes}, mas seu retorno para as tramas mais reais está sendo triunfal: Jen está acumulando prêmios, levou O Globo de Ouro, e é forte candidata ao Oscar. E tudo isso é merecido: Jennifer está ótima como Tiffany, uma mulher dúbia: a jovem viúva vadia, a doce irmã mais nova que faz questão de chocar, a menina que ao dançar, se apaixona. Fascinante!



Para Bradley Cooper o ganho foi ainda maior: ainda que suas chances de estatuetas sejam menores do que as da colega, com O Lado Bom da Vida o ator conseguiu ser considerado, definitivamente, um ator sério. Ele já tinha feito essa tentativa em Sem Limites, mas é com O Lado Bom da Vida que Bradley se livra de vez da imagem de ator exclusivamente de comédias como Se Beber Não Case. Como Pat Solatano ele retrata um homem que acredita piamente no casamento que ele mesmo estragou, e tem dificuldades em aceitar a realidade. Essa realidade inclui a vigilância dos pais e do Estado, o uso de remédios, e o preconceito da sociedade. Tudo muda quando ele encontra uma mulher tão - ou mais - problemática do que ele.



Com a tal "química" explodindo na tela, O Lado Bom da Vida é um dos filmes obrigatórios da temporada - não só, mas também por suas indicações ao Oscar.



Nos Cinemas a partir de amanhã, dia 01 de fevereiro.


imagens: reprodução.


Até a próxima,

No Cinema: Lincoln

25.
Janeiro.
2013.

Em uma nação dividida pela guerra e por fortes ventos de mudança, o presidente Lincoln {Daniel Day-Lewis} percorre um caminho de difíceis ações, a fim de terminar a guerra, unir o país e abolir a escravidão. Com coragem moral e força para obter sucesso, suas escolhas nesse período crucial mudam o destino das gerações que ainda estão por vir. Essa é a história de Lincoln {Lincoln}.



Este é um filme monumental, prometido, aguardado. Todo mundo queria ver a performance de Daniel Day-Lewis como o 16º presidente norte-americano. Daniel acostumou o público a performances fortes, viscerais, e não é diferente neste caso. Seu Lincoln é perfeito.



Dirigido por Steven Spielberg, Day-Lewis precisou dar vida a um Lincoln contido, dividido entre o dever de libertar os escravos de seu país e o sangue derramado na guerra que provocou para isso. Por que a liberdade custava tantas vidas? Essa pergunta parecia causar as principais rugas na testa do Presidente/Daniel.



Baseado no livro Team of Rivals: The Genius of Abraham Lincoln, de Doris Kearns Goodwin, o filme de Spielberg mostra um Lincoln atormentado, e com uma conduta questionável. Apesar de ter sempre priorizado a honestidade em seu governo, Lincoln autoriza seus auxiliares mais próximos a algumas... concessões. E isso também o perturba.



Em casa, ele tem o apoio da esposa, Mary Todd Lincoln {Sally Field}, que já angustiada com a situação do país, se desespera quando um de seus filhos {interpretado por Joseph Gordon-Levitt} se alista.



Como já dito, Lincoln é um filme grandioso. Mas é um longa para os norte-americanos. Mais da metade do tempo se passa entre reuniões e artimanhas políticas tentando garantir que fosse aprovada a 13ª Emenda - que oficializaria na Constituição dos Estados Unidos a abolição da escravidão. Essa fase é mais interessante para os americanos - já que quase todos ainda tem na família alguma história relacionada à Guerra Civil. Para o público geral, pode parecer um tanto enfadonho.



Isso, no entanto, não tira a grandiosidade do filme, que foi indicado a oito Oscars: Melhor Fotografia, Figurino, Diretor, Edição, Trilha Sonora, Efeito Sonoro, Filme, Roteiro Adaptado, Atriz Coadjuvante (Sally Field), Ator Coadjuvante (Tommy Lee Jones), Ator (Daniel Day-Lewis) e Direção de Arte.

Um grande filme, sobre um homem inigualável, que ousou mudar a história de seu país.




Nos Cinemas.


imagens: reprodução.


Até a próxima,

No Cinema: O Mestre

24.
Janeiro.
2013.

Ao término da Segunda Guerra Mundial, o marinheiro Freddie Quell (Joaquin Phoenix) tenta reconstruir sua vida. Traumatizado pelas experiências em combate, ele sofre com ataques de ansiedade e violência, e não consegue controlar seus impulsos sexuais. Um dia, ao acaso, ele conhece Lancaster Dodd (Phillip Seymour Hoffman), uma figura carismática e líder de uma organização religiosa conhecida como A Causa. Reticente no início, ele se envolve cada vez mais com este homem e com suas ideias, centradas na ideia de vidas passadas, cura espiritual e controle de si mesmo. Freddie torna-se cada vez mais dependente deste estilo de vida e das ideias de seu Mestre, a ponto de não conseguir mais se dissociar do grupo. Essa é a história de O Mestre {The Master}.



Quando Joaquin Phoenix está no comando de um elenco, espere um "soco no estômago". O ator parece tirar o próprio sangue para o personagem - seja ele qual for - e neste caso teve material dramático para isso. Freddie Quell traz todas as perturbações da guerra, e de volta ao "mundo real" precisa de um sentido pra viver - antes que enlouqueça com suas próprias obsessões e impulsos.



É aí que surge o casal Dodd, pregando os conceitos de uma nova seita, exibindo uma família perfeita, prometendo a paz que Freddie precisa desesperadamente.



Carente de abrigo físico e psicológico, Freddie se entrega a esta família, e principalmente à Causa. Torna-se seu mais fiel seguidor, mas é impossível não se confundir com os novos princípios. Mais uma vez, a cabeça do ex-soldado parece que vai desabar.



O Mestre é um filme de atores, e não é de se espantar que tenha recebido três indicações ao Oscar em categorias do gênero: Melhor atriz coadjuvante (Amy Adams), Melhor ator coadjuvante (Philip Seymour Hoffman) e Melhor Ator (Joaquin Phoenix). Indicações merecidas. Os três estão fabulosos, sob a competente direção de Paul Thomas Anderson.



Nos Cinemas, a partir de amanhã, dia 25.


imagens: reprodução.


Até a próxima,

No Cinema: A Viagem

11.
Janeiro.
2013.

Várias histórias em épocas diferentes, passado, presente e futuro, estão conectadas mostrando como um simples ato pode atravessar séculos e inspirar uma revolução. Isso é o que se vê no filme A Viagem {Cloud Atlas}, que esteia hoje no Brasil.



Um longa dirigido por Tom Tykwer, Andy Wachowski, e Lana Wachowski, com um elenco formado por nomes populares: Tom Hanks, Susan Sarandon, Jim Sturgess, Halle Berry, e Hugh Grant. O resultado? Uma confusão danada!!

A mistura de eras, de tempos, de personagens, de figurinos... tudo sem nexo, supondo uma suposta conexão {que eu não consegui entender}. É diferente daqueles filmes compostos por várias histórias, mas com figuras definidas, começo - meio - fim. Em A Viagem, os mesmos atores interpretam seres das mais diversas eras, e é... tudo uma bagunça.



Alguns bons efeitos, mas a impressão de uma boa ideia muito mal desperdiçada.

Nos Cinemas.

Perfil

Meu nome é Lathife Cordeiro, tenho 28 anos, sou jornalista, assessora de imprensa, e apaixonada por arte e cultura. Moro no Rio de Janeiro, estou sempre em Paraty {RJ}, mas você pode me encontrar em qualquer lugar do mundo - principalmente no mundo virtual.

Espaço Visão.Arte

Uma revista eletrônica virtual atualizada com Informação, cultura, moda, beleza, dicas de passeios, entrevistas, e muita, muita arte. Sejam benvindos!

Nos Acompanhe!

  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • YouTube
  • Flickr
  • tumblr
  • fashionist
  • we heart it
  • RSS Seed

Arquivo

- Outubro +
1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 141516 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31

Tags

Visão Arte - Fazer eco à arte é o trabalho da Visão.Arte.

Além de Assessoria de Imprensa, Agenciamento e Produção, criamos Sites e Blogs Oficiais para artistas interessados em ter suas páginas na Internet. Uma das nossas maiores intenções é aumentar a interação entre o artista e seus fãs, bem como divulgar seus trabalhos.

Clientes

  • Kesia
  • Jota Corts

Entre em contato e conheça nossos serviços!

Contato