O roteirista Dalton Trumbo (Bryan Cranston) tem uma história singular em Hollywood: apesar de ter escrito algumas das histórias de maior sucesso da época, como "A Princesa e o Plebeu", ele se recusou a cooperar com o Comitê de Atividades Antiamericanas do Congresso e acabou preso e proibido de trabalhar. Mesmo quando saiu da prisão, Trumbo demorou anos para vencer o boicote do governo, sofrendo com uma série de problemas envolvendo familiares e amigos próximos. Essa é a história de Trumbo: Lista Negra {Trumbo}.
De vez em quando Hollywood revisita sua própria história, seja para elevar ou desencantar ícones, ou como uma forma de remissão. Nessa linha, Trumbo é um dos melhores filmes do gênero.
Totalmente biográfico, o longa dirigido por Jay Roach fala de uma ferida não muito distante da memória dos americanos. A Guerra Fria tem rendido filmes {alguns muito bons, como o indicado ao Oscar Ponte dos Espiões} que tem a intenção de mostrar às novas gerações a pressão daqueles anos sombrios.
Trumbo vai além. Trumbo é protagonizado por Bryan Cranston, e isso faz toda a diferença. O ator está absolutamente fantástico, em uma atuação de tirar o fôlego. Quem ama o que faz {seja o que for} se sentirá atingido por sua interpretação. Digo “atingido” porque é quase um tiro: um filme não muito comentado, que te surpreende ao máximo.
Brian tem sido indicado a todas premiações, entra elas o Oscar.
Mas ele não está sozinho: Diane Lane e Helen Mirren são parceiras de alto nível, e dão show com Bryan ou sozinhas. O restante do elenco masculino também merece aplausos.
E aplausos foi o que faltou durante a vida de Dalton Trumbo. Os dois Oscars que ganhou foram sob outros nomes, no período da Lista Negra. E pasmem, um dos filmes está entre os queridinhos dos amantes do Cinema {até mesmo por diversas inovações}: falo de A Princesa e o Plebeu. A outra estatueta foi graças a Arena Sangrenta.
Trumbo teve tempo de ser recolocado no posto de um dos maiores roteiristas de Hollywood, e sua família sempre honrou sua carreira. Mas sem dúvida esse filme paga outra dívida de Hollywood: apresenta às novas gerações um gênio, e tudo o que um grupo de roteiristas teve que passar pelo simples direito de escrever.
Felizmente John McNamara, roteirista de Trumbo, não foi censurado.
O Oscar acontece dia 28 de fevereiro, e aqui na VISÃO.ARTE você conhece os principais indicados.
Até a próxima,
Lathife Porto

Escrito por

Lathife Porto

Meu nome é Lathife Porto, sou comunicadora e apaixonada por moda e beleza {acessórios são vício!}, arte e cultura, decoração, arquitetura, e entretenimento.

Moro no Rio de Janeiro, estou sempre em Paraty {RJ}, mas você pode me encontrar em qualquer lugar do mundo – principalmente no mundo virtual.