Karamakate, outrora um poderoso xamã da Amazônia, é o último sobrevivente de seu povo, e agora vive em isolamento voluntário nas profundezas da selva. Os anos de solidão absoluta o tornam vazio, privado de emoções e memórias. Sua vida sofre uma reviravolta quando chega ao seu esconderijo remoto Evan, um botânico americano em busca da Yakruna, uma poderosa planta capaz de ensinar a sonhar. O xamã decide acompanhar o estrangeiro em sua busca, e juntos embarcam em uma viagem ao coração da selva, onde passado, presente e futuro se confundem, fazendo-o aos poucos recuperar suas memórias. Essas lembranças trazem uma dor profunda que não libertará Karamakate até que ele transmita o conhecimento ancestral que antes parecia destinado a perder-se para sempre. Essa é a história de O Abraço da Serpente {El Abrazo de la Serpiente}.
Desde que assisti o longa me pergunto o que levou os membros da Academia de Hollywood a indicá-lo ao Oscar. Existem filmes tão melhores pelo mundo! Tenho tentado achar os pontos positivos.
Trata-se de uma história real, baseada nos diários escritos pelos cientistas Theodor Koch-Grunberg e Richard Evan Schultes. Desbravadores brancos em terras indígenas sempre impressionam.
O maior acerto do diretor Ciro Guerra foi filmar em preto e branco. Por se tratar de floresta {a Amazônia colombiana} a gente sabe que ali existe uma explosão de cores. Ao camuflá-las o diretor conseguiu uma ótima fotografia.
As dificuldades foram muitas, dentro e fora do que se vê nas telas. Ciro Guerra pensou em desistir. Sua insistência rendeu à Colômbia sua primeira indicação ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.
Nos Cinemas.
O Oscar acontece dia 28 de fevereiro, e aqui na VISÃO.ARTE você conhece os principais indicados.
Até a próxima,
Lathife Porto

Escrito por

Lathife Porto

Meu nome é Lathife Porto, sou comunicadora e apaixonada por moda e beleza {acessórios são vício!}, arte e cultura, decoração, arquitetura, e entretenimento.

Moro no Rio de Janeiro, estou sempre em Paraty {RJ}, mas você pode me encontrar em qualquer lugar do mundo – principalmente no mundo virtual.